Cães De Água

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Os cães de água ou turco andaluz, teu nome varia dependendo da zona geográfica. Assim, é popular no Sul de Espanha, com os nomes de turco “andaluz”, “laneto”, “cão de fios”, “interiores” e “patero”. São um grupo de raças caninas, caracterizados por ser de tamanho médio e ter o cabelo de consistência lanosa e encaracolado. São cães muito corpulentos, em divisão também pela densidade de tua pelagem.

Costumam medir entre quarenta e cinquenta cm, e perante este manto enrolado se esconde um corpo robusto, compacto e atlético. Não é recomendável depilar a este tipo de cães, entretanto sim recortarle o cabelo, de forma especial nos meses de calor. Perde muito pouco cabelo, pelo que a sua manutenção é fácil e o manto protege das condições climáticas.

  1. Anfotericina B
  2. FEAPS. (2001). As pessoas com atraso mental e com necessidades de apoio generalizado. Madrid
  3. 6-um Sergio Ramos (45′)
  4. 2 História da legislação dos EUA 6.16.2.1 Pressão da indústria
  5. 1904: Em dezembro, a Catedral de Puebla é elevada a Basílica Menor pelo Papa Pio X
  6. As artes plásticas
  7. Terrier irlandês
  8. Os membros necessitam ser retos e paralelos

Pode apresentar as mais variadas cores, do branco ao preto, passando pelo marrom (claro e escuro), em tão alto grau unicolor como bicolor a manchas. Como curiosidade, quando nascem costumam mostrar várias cores, no entanto estes são capazes de ir alterando conforme crescem. Eles normalmente são usados para a cobrança de aves em áreas pantanosas e marinhas.

É um cão de serviço versátil, com os instintos, pro pastoreio, a caça e a guarda. Demonstra uma inteligência assombrosa e um caráter bem equilibrado. As origens do Cão de Água Português não se conhecem com certeza; no entanto, existem duas teorias que parecem ceder resposta a tua possível origem.

há Os que declaram que a raça fez a sua entrada em Portugal, graças aos navios turcos que chegaram às nossas custas pelo comércio de gado, entre o encerramento do século XVII e princípios do século XIX. Pode ser que, como decorrência, a raça também é conhecida como “o Turco”, em homenagem às suas origens. Outras teorias postulam que chegou a Al-Andalus durante a invasão islâmica da Península Ibérica, pra depois prosseguir a tua expansão pra Europa Ocidental.

em consequência a tua experiência de se encaixar a todo o tipo de ambientes e a tua fortaleza, demonstrou ser o cão maravilhoso para o serviço nas montanhas em Cádiz e os montes de Málaga. Por sua vez, a competência pra fazer-se na água fez-lhe de forma especial vantajoso para o reboque de navios pra costa nos inmensuráveis portos de Al-Andalus. Sua extensão pela Península, lhe fez regressar até Extremadura (onde adotou a denominação de “Churrino”) e, até já, o norte de Portugal. Lá, continuou com os trabalhos mencionados acima, e também contribuir com os pescadores na gestão das redes.

Com conexão a tua consideração em registros oficiais, em 1982, a Real Sociedade Canina de Portugal abriu o primeiro registro da raça, e, mais tarde, em 1999, foi aceita pela Federação Cinológica Internacional (FCI). A seriedade dessa raça é tal, que até se acredita que seja a origem de uma vasto diversidade de sub-raças de cães de água europeus. Além do mais, dado o progresso do cabelo dos canais auditivos, pode sofrer inúmeras infecções a respeito os mesmos.

Rolar para cima