De Onde Vêm Os Ratos?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Depois de 10 anos de experiência como criador de roedores amador, José Maria Vilaboy, detectou-se a vida de um nicho de mercado pela venda de ratos e camundongos e pôs em marcha a empresa Xaraleira. Hoje em dia é a única corporação galega e uma das duas únicas em Portugal dedicada à constituição de roedores pra vender como alimento de aves de rapina e répteis, a centros de recuperação, cetreros e zoológicos.

A organização, instalada em As Pontes (A Coruña), conta nos dias de hoje com uma nave, cuja elaboração atinge os 500 quilos de rato e rato congelado por mês. A assinatura Xaraleira saem mais de 7.000 roedores cada mês, um valor que esperam ampliar com a exportação do objeto congelado a mercados da Europa, como Áustria, Bélgica e Holanda, ou os Emirados Árabes. Vilaboy, que confessa pertencer à formação de Félix Rodríguez de la Fuente, destaca-se o trabalho do biólogo no campo da falcoaria em Portugal.

Alguns, aponta o criador, até atingir os 30.000 euros. A tua relação com outras das empresas de abastecimento de falcões para os Emirados Árabes lhe abriram a porta para o Oriente Médio, onde começará a enviar os ratos e os ratos congelados a partir de abril. Os roedores são os animais que mais abundam em instalações de Xaraleira, ainda que também habita em gaiolas hamsters ou cobaias que vendem como animais de companhia em lojas especializadas. Vilaboy acredita que os animais são construídos em condições ótimas, com uma cuidadosa atenção à tua alimentação e higiene, do mesmo jeito que os roedores que vende ao vivo ou congelado.

Vivem em grupos de 3 em pequenas gaiolas e seu valor no mercado varia em atividade do tamanho do animal. Os animais de companhia como as cobaias podem atingir quase os vinte euros, durante o tempo que que os ratos e camundongos não excedem os dois euros, todavia o valor término depende da quantidade que o cliente pedir.

A maioria das vendas se faz por intermédio do contato direto com as corporações e potenciais consumidores, mas a começar por seu site são capazes de ser pedidos e consultar a oferta e o preço dos animais. A incerteza não passou bastante tempo no negócio de José Maria, que se viu muito obrigado a introduzir novidades e diversificar a tua actividade. Assim, decidiu enviar um ‘kit de experiência’ com 3 ratos em institutos de educação, para que possam observá-los e estudar.

Uma vez que termina o tempo de observação, os centros retornam os animais para as Pontes. Desde o começo do novo projeto, Vilaboy enviou esses ‘packs’ de roedores não só a centros de Galiza entretanto a Sevilha, Valência ou Mallorca, à espera de que a idéia se consolide como uma área de negócio. Mas as idéias do ávido empresário A Chaira não se ajustam a este projeto, entretanto que imediatamente trabalha na incorporação de novos clientes para o teu navio de As Pontes, insetos capazes de empreender a luta biológica. Vilaboy. Pra esta finalidade, pretende formar insetos como besouros e vespas, que desejas comercializar para combater pragas e evitar os inseticidas.

  • Vespa: Wasp
  • Mr. Chaney (Stephen Root)
  • 3 (86.67%) três voto
  • 22 Bernes da Montanha , Pastor Belgas Malines

É consciente de que não é um agradável momento pra lançar o projeto, entretanto acredita na batalha biológica como “uma aposta de futuro para a agricultura biológica”. A venda nesse novo pesticida não só depende do aprendizado, o que imediatamente foi submetido Vilaboy, que permita o desenvolvimento do objeto término, mas a sensibilidade do freguês na hora de comprar o inseto. O empresário calcula que os pesticidas se pode perder 10% da colheita, valor que no caso de usar insetos são capazes de atingir 30% visto que não são tão eficazes.

Para iniciar-se no campo da batalha biológica abriu uma seção em parceria com a escola de Santiago. Com eles, prevê aumentar a criação de outros animais como os grilos ou os bichos-da-farinha pra alimentação de animais insetívoros. Sendo assim, Vilavoy pretende fortificar esse interessante nicho de mercado, único na Galiza e muito restrito no Brasil. Imagem das instalações de Xaraleira.

Rolar para cima