“Eu Tenho Um Currículo Atleta Magnífico, Mas Inexistente No Trabalho”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Acaba de publicar a sua retirada do atletismo profissional, a primeira mulher, e de momento, a única que conseguiu uma medalha olímpica para o atletismo português. Se, dizem, o atletismo é o esporte rei da citação olímpica, tua bronze nos vinte km marcha de Sydney, em 2000 tem um valor mais especial ainda pro esporte estadual em teu conjunto. Numa modalidade especial.

A pergunta da retirada a levava a meditar bastante tempo, contudo eu não terminava de pôr uma data concreta. Por que o momento do adeus é esse e não outro, seja antes ou depois? A verdade é que a pergunta da retirada a levava a meditar muito tempo, porém eu não terminava de botar uma data concreta. “Até aqui”. Um dia, em pleno treino, parei de golpe.

Não queria prosseguir. Eu não era o que eu estava fazendo. Não me divertia como antes. Animicamente não era o melhor de sempre instante. Quase três décadas de atletismo são diversos anos pra romper com esse esporte. Mantém vínculos. É a hora de devolver o recebido, no entanto com mais intensidade? Sim, é verdade que tenho o meu clube, no entanto é alguma coisa artesanal, sem uma estrutura, por portanto expor sólida. E também que eu estou treinando para uma criancinha pelo motivo de ela aparecia marcha e divirta-se com isso. Mas não são projetos como tais.

Após vinte e sete anos imagino qual será a marcha. E eu não irei romper com o esporte. Mas eu não irei correr mais. Procuro uma troca. Tenho novas preocupações. Me chama muito o mundo da beleza. Mas experiência, zero. É portanto. Eu tenho um currículo como atleta magnífico. Mas inexistente no trabalho. Se você adoraria de seguir em alguma atividade relacionada com o esporte, esse currículo valeria perfeitamente, teria o teu valor. Mas isso não é o que eu pretendo.

a Minha apreensão é outra. E eu quero tentar a sua sorte. Já fez alguma entrevista e entrou em algum procedimento de seleção. Vamos olhar como progride tudo. Levou um tempo a incorporar o que ia suceder no momento em que chegasse este momento. É correto que está o PROAD do Conselho Superior de Esportes pra socorrer nesta “volta à realidade” pros atletas de alto grau, contudo entrar no mundo de trabalho não é nada fácil. E menos nestes tempos.

, E nem ao menos pretendo, nem sequer aspiro que me dêem um local sem fazer nada ou sem saber fazê-lo. Não. Isso não vai comigo. Entendo que chega uma fase trabalhoso. Ou, no mínimo, que é inteiramente contrário do que eu venho fazendo em minha vida até nesta ocasião. Mas o giro de 360 graus. Eu treinava sozinha e ao ar livre; eu não gostava de exercitar-me coberto.

Após vinte e sete anos entrenándome no exterior me custa pensar numa jornada dentro de um escritório. Eu não estou reclamando, claro. Porque ao término, durante todos esses anos, eu tenho feito o que queria fazer. E isto é belo. Bem, sim, que é algo que me têm comentado alguma vez. Eu não valorizo se fui ou não uma pioneira.

  • 2014: Tomomi Nishimura
  • 4 Mostre o mais incrível de ti
  • Descobrir um autor que não sabia da existência antes
  • vinte e um Passos pra vitória de uma amiga

Valorizo a medalha em si, visto que custa muito atingir uma e mais em alguns Jogos. Que seja a única medalha olímpica feminina mostra essa problema. Em pergunta de encaixes há atletas pra todos os gostos, Como a introdução, entre os grandes troféus da minha carreira. Lá está bem colocadita. As pessoas no momento em que me vê pergunta se pode fazer uma foto e até mesmo se conseguem apanhar (risos) eu

Claro, que não vai quebrar! Você Sabe que outra pioneira, a ciclista na pista estónia Erika Salumae, duas vezes campeã olímpica, foi leiloado seus preseas e várias lembranças de tua carreira para adquirir dinheiro? Você não tinha ouvido! Espero não ter nunca que aparecer a este ponto! Não tem nada que enxergar, diria, nem sequer na dúvida dos treinos, nem sequer no que diz respeito à competição.

Rolar para cima