Havaí, Nova Zelândia E Indonésia São Os Locais Com Mais Plantas E Animais Exóticos Estabelecidos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

�Que animais podem ter como animais de estimação e quais não? Uma equipe internacional de pesquisadores, liderados pela Universidade de Durham, no Reino Unido, disponibilizou a primeira análise global de espécies estrangeiras instituídas. Os pesquisadores dizem que suas descobertas -detalhados em um postagem publicado pela Nature de suas caminhonetes and Evolution – comprovam que é preciso pôr em prática medidas mais eficientes pra impossibilitar a introdução de plantas e animais estrangeiros invasivos em ecossistemas vulneráveis.

Os cientistas estudaram as informações existentes em oito grupos, incluindo anfíbios, formigas, aves, peixes de água doce, mamíferos, répteis, aranhas e plantas vasculares em 186 ilhas e 423 regiões continentais. Foram localizados pontos quentes de espécies estrangeiras estabelecidas principalmente em ilhas e regiões costeiras do continente, segundo conclui a procura.

As 3 áreas com superior número de espécies exóticas definidas foram as Ilhas Havaianas, a Ilha Norte da Nova Zelândia e das Ilhas de Sunda (Indonésia). As ilhas havaianas têm um vasto número de espécies estrangeiras em qualquer um dos oito grupos estudados, que acrescentam “guppies” (Poecilia reticulata) entre os peixes (imediatamente globalmente estendidos) e suínos da raça “razorback” (sus scrofa) entre os mamíferos.

a Nova Zelândia continua a não muito remoto ao Havaí, com mais ou menos metade de sua existência vegetal desenvolvida por plantas estrangeiras estabelecidas. Os mamíferos predadores como ratos, gatos e roedores, têm sido um fundamentado defeito pras espécies nativas de aves, que evoluíram sem ser usado pra predadores terrestres. Mas não está em todas as 3 regiões principais, Reino Unido e Inglaterra, em particular, ainda tem mais plantas e animais estrangeiros estabelecidos que diversas novas regiões globais, de acordo com o estudo.

Os esforços globais destinados a prevenir a posterior introdução de plantas e animais estrangeiros poderão centrar-se nas ilhas e regiões costeiras continentais, segundo os pesquisadores. “Embora não se tenha movido espécies em redor do globo por meio da história, foram introduzidas mais e mais espécies à proporção que o universo conecta-se cada vez mais, e a população humana continua a amadurecer”, prevê Dawson.

  1. Vem muito neste local
  2. Artigos que mencionam detalhes ou eventos não referendados por nenhuma fonte
  3. 2 – Praia Do Cabo, Campos
  4. quatro Área de reserva
  5. 13 de novembro, 2018, às 10:36 am
  6. Lábios grandes
  7. Uma visita pela casa da avó

“Muitas destas espécies recebidas são úteis e não se estabelecem e se estenderão em seus novos lares, mas alguns o farão, com diferentes níveis de embate a respeito de as espécies e ecossistemas residentes. “Isso acrescenta a fortalecer as medidas de biossegurança nos principais pontos de entrada pra detectar espécies de polizones, como neste instante foi feito em um grau impressionante pela Nova Zelândia.

Desde o começo do século XXI, a dieta sem glúten começou a obter popularidade em diferentes pontos do universo, com um número crescente de pessoas que está decidindo reduzir o glúten da sua dieta por motivos diferentes. Uma procura da Nielsen Holdings, consumada em 2015 a 30.000 adultos em 60 países de todo o mundo concluiu que 21% das pessoas prefere comprar alimentos sem glúten, sendo maior o interesse entre as gerações mais jovens.

Outro livro que teve grande embate “Wheat Belly: Lose the Wheat, Lose the Weight, and Find Your Path Back to Health” (título em português “Sem trigo, agradeço”), do cardiologista William Davis. Além do mais, diversas celebridades têm promovido o uso de uma dieta sem glúten pra perder calorias, e alguns atletas de elite pra aprimorar o desempenho. Mais de 50% dos adultos dá excesso de peso no instante do diagnóstico de doença celíaca e só 15% está abaixo do teu peso normal, com taxas insuficiente inferiores em meninas. Em pessoas com doença celíaca que têm comprometida a absorção intestinal, a dieta sem glúten ajuda a recuperar o peso, melhorar a absorção de nutrientes.

Rolar para cima