‘Ksi-expandindo’: Os Populares Bonecos Criticados Por Promover Estereótipos De Género

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Amparo Serrano (Cidade do México, 1965) é a fundadora da empresa Distroller, encarregada de fabricar e distribuir a série de bonecos de Recém-nascidos (que incluem os modelos de Ksimeritos, Sigotos, Prematuros e Mikromeritos). Outra de tuas linhas de brinquedos para moças é Virgencita piscar de olhos, dedicada à figura da Virgem de Guadalupe que se deu a dominar há mais de uma década. A empresária conta pra Wanda que a série de brinquedos Recém-nascidos, foi lançada no mercado em 2012 e que esses figuram como os produtos estrela de sua assinatura.

“Os Recém-nascidos são seres vivos que vêm de Neonatitlán, um planeta imaginário onde nascem esses personagens que estão dispostos a ser adotados por meninas”, conta por telefone. “Ocorreu-me criá-los com o nome de Recém-nascidos pelo motivo de quando minhas filhas eram pequenas notei que lhes faltava consciência ao cuidar seus animais de estimação e estas figuras procuram oferecer o cuidado a um ser vivo”. Os Recém-nascidos de Distroller tem gerado muito interesse por porção do público mexicano, especialmente no último ano, conforme mostra o índice de procura do Google. O interesse assim como cresceu em países da américa Latina onde a marca tem presença.

Pois hoje é aniversário de minha sobrinha. Deram-lhe uma coisa chamada “casimerito”, uma representação caricaturizada de um feto com cordão umbilical, que precisa tomar conta e buscar. Marca Distroller, é claro. Bem ali, Frente Nacional na Família. A empresária nega que seus produtos tenham algum tipo de conotação contra o aborto ou com carga ideológica católica, como de imediato foi criticado.

“Eu não me estou a meter em temas de construção e bem como não precisa visualizar com um movimento antiaborto”, diz Serrano. “Muitas pessoas só buscam ver o lado desagradável em tudo, e se eu lhe pus o nome de Recém-nascidos foi já que se trata de novos nascidos”. Também aponta que, a despeito de as criancinhas sobressaem interesse por estes brinquedos, os Recém-nascidos foram montados como brinquedos pra gurias. O canal de YouTube da marca conta com mais de 384.000 1 mil assinantes e em sua página de Facebook tem mais de 1,6 milhões de seguidores.

estes meios transmitem videos que salientam criancinhas com os brinquedos de Recém-nascidos em circunstâncias que foram classificadas de sexista e cheias de estereótipos de género. “É muito choroso que em 2018 continuem existindo brinquedos destinados apenas pra garotas ou para garotos. Neste caso, se inventa a maternidade e se instaura pras moças que é a única aspiração que devem ter em mente”, diz a Wanda Regina Tamés, diretora do Grupo de Informações em Reprodução Escolhida (VIRE).

  • Penso Libra
  • Os instintos de sobrevivência (alimentação, reprodução) são afetados
  • a forma autobiográfica
  • Jennifer Lopez: Super Saturday Night – Pré-Super Bowl Show (2018)
  • 244 respostas por este tema
  • Escolha o destino — Minube
  • cinco Outras mercadorias

O porta-voz do movimento feminista sinaliza que, apesar de a própria companhia esclarecido que não se trata de figuras que simulem ser fetos ou células embrionárias, é questionável que continuem a imposição da maternidade pra crianças pequenas. “Eu acho que nisto se baseia o seu êxito, em que esse pensamento prevalece no México e em diversos países da américa latina”, diz Tamés.

A empresária diz constatar amargura diante de uma “má interpretação” da intenção de seus produtos por certos grupos sociais. “Me dá angústia que pensem ou critiquem assim, pelo motivo de o meu desejo nunca foi ferir, entretanto ensinar às moças o valor de tomar conta de cada ser vivo, como um animal, como por exemplo”.

Rolar para cima