O Que Nos Trará Internet Este Ano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Levamos insuficiente de 2011 e são muitos os que se aventuram a prever que serão as tendências do mundo digital nos próximos onze meses. O dinheiro virtual, os “celulares” e suas aplicações, a medição de audiência em social media ou o jogo nas redes sociais, são novas das apostas da consultoria Multiplica.

O caça-ofertas. A começar por Lisboa, Belém Cabeças incide pela importância cobrada a busca da oferta, a chance. Verdadeiramente, segundo sua observação, “cupom” e “desconto” estão entre as palavras mais procuradas no Google em 2011. A compra de produtos que estão em oferta será máxima, até tal ponto que se podes oferecer a chance de, não o artefato.

A isso, Belém Cabeças, complementa “o Google vai adquirir o Groupon: cada procura será um desconto”. Os celular e as “aplicativos explosion”. O destino está escrito nas inúmeras alternativas que oferecem os celular e, em particular, a formação de aplicativos (aplicações montadas para os dipositivos da Apple). Só na Appstore da Apple superou os quinze milhões de downloads de apps por dia. “Toda gente cria aplicativos pro seu negócio.

  • Conhecimentos específicos
  • 1 Juventude e educação
  • Arafael (conversa) 20:07 vince e seis nov 2010 (UTC)
  • Faça as suas fichas de produtos o mais profissional possível
  • Gol do México
  • “Melody” (Clark Owen)

todavia, o desafio estará em saber, primeiro, se nós realmente carecemos de um app e, segundo, se é deste modo, que tipo de app elaborar”, alega David Boronat do Silicon Valley. Bolsa 2.0 e dinheiro virtual. Um serviço que irá adquirindo cada vez mais credibilidade no móvel terá de ser qualificado de pagar por ele. Igual admite Alex Castellote do Barcelona, “os móveis, e, em particular, os smartphones se tornarão em bolsas 2.0”. A modernização das cidades empurra sistemas de pagamentos mais rápidos e pessoais. Também, a realidade, não fornece em cena o dinheiro virtual. Não só vamos falar de Yens, Euros, Dólares, também o faremos de Facebook Credits. Métricas de social media.

Nicolás Visiers do Miami prevê que as ferramentas de Análise da web incorporados métricas de social media (como neste momento existem alguns softwares no mercado). Vai começar a segmentar e otimizar segundo reputação, links e atividades em redes sociais. “Começaremos a oferecer produtos e serviços das nossas lojas online segundo o jeito do usuário de forma massiva”, complementa Visiers. A vez do e-commerce emergentes. Existem mais de 200.000 estudantes chineses e indianos graduando de universidades norte-americanas. Sob esta afirmativa, Lina Jerves, de Santiago do Chile, adverte que esses mesmos alunos criarão empresas de e-commerce muito competitivas, com preços perfeitos para uma economia em desaceleração, e desafiarão a corporações líderes como a Amazon.

A seriedade da chamada “fan pages”. As fan pages cobradas tão primordial ou mais que as webs corporativas. Ainda haverá empresas que só existirão no Facebook. Roberto Vaurcourbeil a partir de Buenos Aires. O jogo nas redes sociais. É a vez das redes verticais, como o Path, Fast Society ou Instagram. “Os jogos se transformam em uma via significativo de relacionamento. Empresas financeiras e viagens serão lançados jogos que terão mais utilizadores registados de que seus próprios web sites”, diz Lúcia Barros consultora de Multiplica em México DF. O console e a Tv canalizadores de recentes experiências. Oriol letras e no de Barcelona sinaliza que uma “velha conhecida” voltará a recuperar o teu trono familiar, a televisão.

Rolar para cima